Artigos > Saúde Oral e a prática Desportiva: conhece esta relação?

Saúde Oral e a prática Desportiva: conhece esta relação?

Conheça a relação entre a Medicina Dentária, a saúde oral e o desempenho na prática desportiva. Cada vez há uma preocupação na prática de...

Saúde Oral e a prática Desportiva: conhece esta relação?

Saúde Oral e a prática Desportiva: conhece esta relação?

Conheça a relação entre a Medicina Dentária, a saúde oral e o desempenho na prática desportiva.

Cada vez há uma preocupação na prática de actividade física, quer ao nível competitivo, quer ao nível de manutenção relacionado com o bem estar.

Sabe-se que a prática desportiva traz benefícios para a saúde, desde que de forma controlada e cumprindo os requisitos que previnem lesões.

Neste contexto, a saúde oral tem um papel fundamental na performance de um atleta,
podendo influenciar o seu rendimento físico. A Medicina Dentária assume-se como crucial
para o bom desempenho de um atleta.

Qual o papel que desempenha o Médico Dentista?

O Médico Dentista atua a 3 níveis:

  • na prevenção e despiste de lesões: carie, gengivite, periodontite, processos inflamatórios/infeções, quistos, desequilíbrios oclusais;
  • no tratamento da lesão;
  • prevenção das lesões provenientes de traumas.

O que é a “má oclusão”? E que relação tem com a prática desportiva?

Existe “má oclusão” quando os nossos dentes não articulam de forma harmoniosa,
simultânea e exercendo as forças equilibradamente. Isto é, os dentes devem encaixar de
forma a que todos tenham contactos simultâneos e as forças exercidas sobre as arcadas
sejam equilibradas.

A “má oclusão” está diretamente relacionada com problemas posturais, problemas
respiratórios, distribuição não uniforme das forças nos membros inferiores, mastigação
deficiente e alterações na visão binocular.

Assim, podemos afirmar que a má oclusão influencia o rendimento físico dos atletas e
aumenta o risco de lesões.

Sob o ponto de vista do rendimento físico, há uma resposta de compensação à
modificação postural do sistema locomotor, induzindo, desta forma, alterações mecânicas
a nível articular, tendinoso e muscular.

Esta resposta leva a um desequilíbrio biomecânico o que aumenta o risco de lesões( a
distribuição das forças durante o impacto não é uniforme).

É extremamente importante que o atleta tenha uma oclusão dentária correta e equilibrada
de forma a conseguir estabelecer um equilíbrio postural adequado, não só para melhorar
a sua performance mas também para diminuir o risco de lesões.

A cárie provoca lesões musculares?

Quando existem focos infeciosos na cavidade oral como cáries, é possível que as
bactérias se espalhem ao restos dos órgãos, visto que um dente é uma estrutura viva com
vasos sanguíneos e enervação que o ligam aos outros orgãos e sistemas.

Assim, quando existem infeções orais existe uma maior probabilidade de lesões musculares,
principalmente lesões musculares recidivantes.

A alimentação de um atleta influencia o risco de problemas orais?

Muitos atletas tomam suplementos desportivos em barras ou bebidas energéticas. Estes
suplementos são, na maioria, ricos em hidratos de carbono, portanto o risco de cárie é
maior, assim como, da erosão dentária.


Sabemos também que durante um esforço, exercício físico, o nosso fluxo de saliva
diminui (hiposalivação) e o pH aumenta. Sendo a saliva um protetor natural contra
microorganismos da cavidade oral e desmineralização ácida, durante a prática de
exercício físico está-se “menos protegido”.

Como me posso proteger de traumas durante o treino/jogos ?

Os traumas acontecem quer se queira quer não. Muitas vezes não se consegue evitá-los,
portanto tem de haver uma atitude preventiva.

O uso de uma goteira de proteção, durante a prática de exercício físico, permite proteger
os dentes de fraturas, os tecidos moles envolventes, as estruturas ósseas e a articulação
temporomandibular.

Quais as diferenças entre as goteiras feitas em clínica e as compradas pré-formadas?

Hoje em dia há três tipos de goteiras:

  • As goteiras “ stock mouthguards”, standard, sem qualquer tipo de adaptação às diferentes dentições, musculaturas e quadros esqueléticos de cada atleta. Estas goteiras são desaconselhadas pela falta de adaptação e pelo facto de só exercerem a sua função se o atleta estiver com os dentes em oclusão, isto é, sempre a tocarem. Excluímo-las não só pelo facto das situações de trauma serem expontâneas e portanto o atleta não tem tempo de fechar a boca/dentes, mas principalmente pela desadaptação não conseguindo garantir uma proteção eficaz.
  • As goteiras “ mouth formed” que são compradas, aquecidas em água quente e adaptadas posteriormente em boca. Apesar de conseguirem ter uma boa adaptação nunca conseguem uma adaptação tão eficaz como as feitas através de um molde dentário. Ainda que tenham um reduzido custo tornando-as aliciantes, muitas vezes o material de que são feitas não é o melhor para conseguir ter um poder de absorção total das forças no momento do impacto.
  • As goteiras “custom fabricated” feitas no consultório do seu médico dentista. Estas são a referência, não só conseguimos uma adaptação através do molde da sua boca com cada pormenor da mesma, como conseguimos escolher o melhor material existente garantindo um risco de problemas provenientes do trauma muito menor. Estas são incomparáveis a qualquer uma das outras, oferecem uma melhor proteção, conforto e retenção( não saem da boca durante o exercício físico). O material é um Copolímero EVA, conseguindo uma melhor absorção dos impactos e uma menor transferência de energia aos dentes e a todo o periodonto.
Marcação de Consulta em Implantes Dentários
30 anos de experiência ao seu dispor

Devolvemos-lhe a alegria de sorrir novamente!

Marcar Consulta Ligue 229 376 497

Agende uma consulta online de forma simples e rápida!

Urgências Das 8H às 24h
Em ambiente hospitalar no Hospital CUF e Instituto CUF
Ligue 935 184 727 Ligue 935 184 727